As redes sociais e o impacto nas empresas – parte 1 de 2

Redes sociais - O fenómenoNA: Este artigo faz parte de uma série de dois artigos sobre as Redes Sociais e o seu impacto nos negócios das empresas. A primeira parte do artigo insere-se no contexto de estabelecer e informar sobre a história das redes sociais, sendo a segunda parte focada na parte empresarial das mesmas, nomedamente no potencia do Facebook para os seus negócios e como é que a PTWS Alojamento Web pode contribuir para o seu sucesso e o sucesso do seu negócio.

Ainda só passaram pouco mais de duas décadas, desde que Tim Berners-Lee imaginou aquilo que viria a ser apresentado ao mundo como a World Wide Web (Rede de Alcance Mundial). Juntas a WWW e a Internet, são sem sombra de dúvidas uma das invenções mais marcantes e influenciadoras de toda a história da Humanidade.

A Internet permitiu ligar, através da tecnologia dos computadores o inacreditável valor que um quarto, dos quase 7 mil milhões Humanos existentes na Terra. Mas foram, no entanto, as Redes Sociais que abriram a possibilidade de os 1,73 biliões de utilizadores diários, se unirem pela primeira vez, como pessoas a uma escala inconcebível.

O tráfego das redes sociais alcançou a primeira posição das tarefas realizadas na Internet, roubando o lugar à visualização de pornografia, que era ainda a maior no início desta década para além de no caso do Facebook, este se ter afirmado como o site na internet mais visitado actualmente ultrapassando o até agora lider Google.

Também espantoso, é a faixa etária com maiores índices de crescimento nestes meios se situar em torno dos 50 anos (ver gráfico em baixo), classe que só agora começou a interessar e a adaptar-se a este novo meio.

Como se explica que só com o nascimento das redes sociais, uma toda geração que tem vindo a ignorar e ser ignorada, esteja agora a aderir em massa ao fenómeno da web? Só a natureza social do ser Humano, parece poder explicar a razão de estas redes, serem cada vez a ferramenta mais utilizada e procurada por novatos e experientes de todo o mundo da Internet

A primeira grande rede social a alcançar a fama foi o MySpace, fundado em 2003 com o lema, “Um lugar para amigos”. Tendo sido a rede mais frequentada dos Estados Unidos da América até 2009, e por 5 anos a mais utilizada globalmente, o site tem vindo agora a perder alguma da sua popularidade. Não obstante, continua ainda a contar com uma comunidade enorme de membros activos e a ser sujeita a actualizações regulares.

demograficos redes sociais

Por cá, a rede que conquistou a lealdade dos mais de 900 mil registados foi o Hi5. O serviço que também se sucedeu nos países da América Latina, foi o impulsionador da febre das redes sociais em Portugal, tendo e continuando a ser frequentado maioritariamente pelas faixas mais jovens. Ao longo do tempo tem vindo a registar perdas significativas, e em 2008 foi ultrapassado em visitas e utilizadores pela maior rede actual, no nosso país.

Actualmente, seria o 3º país mais populoso do planeta com os seus inacreditáveis 500 milhões de utilizadores activos. O Facebook é sem sombra de dúvidas a rede social mais vasta e conhecida da Internet. Poucos serão os que nunca ouviram falar sobre o fenómeno online que gera mais de 65 biliões de páginas vistas por mês e que ocupa mais de 14 biliões de minutos a cada mês que passa.

Outro nome que quase se destacou nestas comunidades foi o recente, simples e confuso Twitter. 140 palavras, mais de uma centena de milhões de utilizadores e um crescimento diário de mais de 300 milhares de usuários, o Twitter é já a terceira rede social mais utilizada do mundo.

Muitos são os que não compreendem o seu funcionamento e muitos são os que já não passam sem expor ao mundo o conteúdo do seu pequeno-almoço, todas as manhãs. A rede social, de microblogging conhecida como o “SMS da Internet” alterou já o modo de vida de pessoas por todo o mundo, e não parece parar de crescer e conquistar novos seguidores a cada dia que passa.

Apesar de todo o sucesso incontestável, são também muitos os que fortes críticas fazem às redes sociais espalhadas pela web. Acusam-se estes fenómenos de gerarem quantidades exorbitantes de tempo desperdiçadas numa tarefa fútil e, criticam-se por contribuírem para o propósito oposto do seu nome, uma sociedade cada vez mais anti-social, onde as relações humanas são cada vez menos trabalhadas.

José Saramago comentou quando entrevistado, “Os tais 140 caracteres reflectem algo que já conhecíamos: a tendência para o monossílabo como forma de comunicação. De degrau em degrau, vamos descendo até o grunhido.” A verdade é que muitos utilizadores, não conhecem grande parte dos seus “amigos”, e que as trocas de mensagens por estes serviços, dificilmente se desenvolvem ou aprofundam como só uma conversa no espaço físico tem a capacidade e facilidade para fazer.

A relativamente recente explosão destas ferramentas, torna difícil perceber como irão evoluir num futuro longínquo. Alguns analistas acreditam que as redes sociais se tratam de um mecanismo de bolha, e que inevitavelmente acabarão por rebentar e perder o interesse e actividade dos seus utilizadores, em grandes proporções.

Por enquanto as redes sociais continuam a crescer a uma velocidade estonteante e sem mostrar quaisquer indícios de abrandar. Só o tempo dirá como irá evoluir aquele que foi o mais recente e não menos impressionante desenvolvimento do nosso segundo planeta. Mundo este, que ocupa agora o nosso tempo e faz parte das nossas vidas, como nunca antes fora pensável.

Não perca a segunda parte deste artigo, que foca essencialmente a componente empresarial deste fenómeno que são as Redes Sociais e nomeadamente o Facebook como a rede de eleição para .

Sobre o Autor
Author Image
Carlos Santos é um dos Gestores de Clientes da PTWS. Responsavel por toda a área Técnica e de Sistemas da PTWS Lda., Engenheiro de formação, divide o seu dia na coordenação das actividades das equipas técnicas, no apoio total ao cliente final e à sua Familia.
Pode deixar um comentário, ou responder no seu blog.

Deixe a sua opinião